Correria sem fim

Corro desde criança. Já corri para perder peso, para jogar melhor futebol, para esquecer dos problemas, para encontrar amigos. Hoje corro para driblar o tempo. Para que o eu de hoje seja melhor do que o eu de ontem. Difícil. O tempo, implacável, rouba velocidade, diminui potência, nos deixa mais sujeito às lesões. Só não consegue sabotar o cérebro. É aí que equilibramos o jogo, que subvertemos a lógica. Mais velhos, ficamos até melhores do que quando mais jovens.

Correr é sensacional. Tão bom quanto falar sobre correr é ouvir, contar, compartilhar. Descobri isso em 2009 quando me pediram para fazer um blog na época do lançamento da Revista “Runner’s World” no Brasil. Eu era o diretor da revista impressa, mas era necessário também estar na plataforma digital. Contrariado, topei. E o então Blog Correria mudou minha vida. Escrevi centenas de posts, tive acesso à histórias que acabaram virando os livros “Operação Portuga”, “Correria” e “Vidas Corridas”.

Quando o editor Paulo Passos veio me sondar para um blog de corrida na Folha não tive a resistência de 2009. Lisonjeado, topei. Há muito o que ouvir, contar, compartilhar. As histórias de corrida seguem me perseguindo. Os muitos amigos do esporte vivem me dando sugestões, espero que os novos amigos também façam isso pelo @sxavierfilho no Twitter ou pelo sergioxavierfilho@gmail.com. Vamos falar de treinamentos, provas, novidades no esporte, tecnologias, tênis, lesões, pesquisas, curiosidades. Quando escolhi o jornalismo imaginava que me realizaria apenas relatando fatos. Ao começar a falar de corrida, descobri que podia ser ainda melhor. Nem conseguiria descrever a sensação de escrever algo e com isso poder inspirar alguém a começar a correr. Não é por outra razão que estamos aqui. E estamos juntos.