Pipoca gourmet

Por Sérgio Xavier

O furo jornalístico foi da Folha de S. Paulo. O furo ético é geral. Corredores se deram ao trabalho de clonar um número de inscrição! A matéria foi publicada na Folha pelo repórter Fábio Aleixo e mostrava que ao menos 12 corredores da assessoria esportiva Run Up de Sorocaba participaram da São Silvestre desse ano com números clonados.

A repercussão da reportagem foi enorme a ponto de parar no Jornal Nacional da sexta-feira. Escândalo, claro. Mas a pergunta que faço: o que pegou mais? A fraude em si ou o trabalho de produção da fraude?

Todo ano um montão de gente corre a São Silvestre como pipoca. Não paga a inscrição e invade a prova roubando espaço e água de quem pagou. Esse ano, os meliantes da Run Up gourmetizaram a pipoca. Roubaram espaço e água de quem pagou só que com um número de peito bonitinho. É tudo tão diferente?